AsiaIndiaAgra

O Taj Mahal

Agra Travel Blog

 › entry 8 of 23 › view all entries
Foto de Grupo no Taj Mahal

Como tem sido hábito nesta viagem, levantamo-nos bem cedinho, o objectivo era ver o nascer do sol no Taj Mahal. Às 6 da manhã já estavamos prontos para arrancar para o Taj. Mas, só havia táxis por voltas das 7h30. Indianos malandros!!! Saímos do hotel para procurar rikshaws. Mal saímos um rikshaw que ía a passar travou, andou para trás, obrigou a sua cliente (uma indiana a a sair) e veio oferecer-nos o rikshaw!!!

Chegamos ao Taj Mahal já era de dia mas a nossa aventura ainda mal tinha começado. Para entrar no recinto as mulheres iam para uma fila e os homens para outra. Eles entraram com tudo (comidas, walkie talks,… tudo), a nós não nos queriam deixar entrar com as célebres barritas, sumos,… fizemos uma lista do que não podia entrar e fomos deixar as mochilas na cloack house (que ficava bem longe da entrada principal). Quando voltamos para entrar pela segunda vez, as regras tinham mudado e as poucas coisas que dantes eram permitidas, agora eram proíbidas. Foi a confusão. Fizemos barulho, discutimos e lá nos deixaram entrar com tudo o que trazíamos!

Para animar a confusão andava por lá uma inglesa meia atarantada que não sabia onde tinha colocado o bilhete e… virava-se para nós e só perguntava, Do you know where’s my ticket?

Finlamente entramos e vimos o Taj Mahal. Imponente e lindo de fora. Quanto mais longe estamos mais belo é! Branquinho, reluzente,… excepcional. No entanto, por dentro foi uma decepção: só se pode visitar a sala túmulo principal no andar de baixo (ainda por cima nem sequer é a sala onde está o túmulo de Mumtaz Mahal).

O Taj Mahal foi construído entre 1630 e 1652 com a força de cerca de 22 mil homens, trazidos de várias cidades do Oriente, para trabalhar no sumptuoso monumento de mármore branco que o imperador Shah Jahan mandou construir em memória de sua esposa favorita, Aryumand Banu Begam, a quem chamava de Mumtaz Mahal ("A jóia do palácio").

Foto de Grupo no Taj Mahal com as nossas amigas
Ela morreu após dar à luz o 14º filho, tendo o Taj Mahal sido construído sobre seu túmulo, junto ao rio Yamuna.

Assim, o Taj Mahal é também conhecido como a maior prova de amor do mundo, contendo inscrições retiradas do Corão. É incrustado com pedras semipreciosas, tais como o lápis-lazúli entre outras. A sua cúpulas é costurada com fios de ouro. O edifício é flanqueado por duas mesquitas e cercado por quatro minaretes.

Supõe-se que o imperador pretendesse fazer para ele próprio uma réplica do Taj Mahal original na outra margem do rio, em mármore preto, mas acabou deposto antes do início das obras por um dos seus filhos.

A entrar para o Red Fort
A pouco tempo do término da obra em 1657, Shah Jahan adoeceu gravemente e o seu filho Shah Shuja declarou-se imperador em Bengala. Quando Shah Jahan, caído doente no seu leito, se rendeu aos ataques dos seus filhos, Aurangzeb permitiu-lhe continuar a viver exilado no forte de Agra. A lenda conta que passou o resto dos seus dias observando pela janela o Taj Mahal e, depois da sua morte em 1666, Aurangzeb sepultou-o no mausoléu lado a lado com a esposa, gerando a única ruptura da perfeita simetria do conjunto.

Crê-se que o imperador obrigou os arquitetos e decoradores que contribuíram para a construção do Taj Mahal, a, depois de completar o seu trabalho cortar as mãos e a cegá-los para que não pudessem voltar a construir um monumento que igualasse a superioridade do Taj Mahal.

Depois da inúmeras fotos frente ao Taj Mahal (afinal é uma das sete maravilhas do mundo!!) e do frio de rachar que tinhamos, decidimos que era hora de passar ao monumento seguinte. Quando saímos do Taj e fomos reaver as nossas mochilas que estavam na cloack house, fizemos mais umas compritas aos vendedores de rua e a nossa melhor regateadora de preços... a Rosário, não resistiu e deu uma gorjeta a um miúdo que lhe explicou que “20 ruppies, it’s my comission!!!”

Tomamos o pequeno almoço no Costa, que bom chocolate quente, cappucino e muffins para aquecer!

De seguida fomos visitar o complexo de Agra Forte onde estivemos na mais pequena mesquita do mundo.

Akbar's Mausoleum
O Forte de Agra (também conhecido como Lal Qila, Fort Rouge e Forte vermelho de Agra) é Patrimonio Mundial da Unesco. O forte pode ser mais precisamente descrito como uma cidade-palácio fortificada. É o mais importante forte na Índia. Grandes imperadores mogols viveram aqui, como por exemplo: Babur, Humayun, Akbar , Jehangir, Shah Jahan e Aurangzeb

O Forte de Agra foi construído pelo imperador Akbar entre 1565 e 1573. As suas imponentes muralhas de arenito vermelho formam um crescente frente ao rio e rodeiam um enorme complexo de edificios palacianos que variam em estilo. A impressionante porta de Amar Singh, a sul, conduz ao interior do forte. À direita encontra-se Jahangiri Mahal o único grande palácio dentro do forte que remota ao reinado de Akbar. Em frente ao Jahangiri Mahal fica uma enorme piscina de mármore. Diz a lenda que a imperatriz a mandava encher com milhare de pétalas de rosa para se banhar nas suas águas perfumadas. O forte de Agra é um complexo enorme de palácios (Macchi Bhavan, Khas Mahal, Shish Mahal, Shah Jahani Mahal), jardins e mesquitas (Nagina Masjid e Mina Masjid).

Visitamos, ainda dentro do Forte Agra, o local onde o Shah Jahan viveu os seus últimos dias preso a olhar para o túmulo da sua amada - o Taj Mahal.

O Mausoleu de Itmad-Ud-Daulah

No Forte de Agra fomos alvo de muitas fotografias de indianos. A Rosário chegou a pedir 20 rupias por uma fotografia à Carla. A Rute foi confundida com uma actriz de Bollyhood e chegamos a falar com um brasileiro que anadava de férias (cerca de 1,5 meses) pela Índia… grandes vidas!

Almoçamos no Maya. Eramos para ter ficado no terraço mas como era no chão e a limpeza não é propriamente o forte na Índia, decidimos ficar na parte de dentro do restaurante. Durante o almoço, o Vilabril era muitas vezes apanhado pelo João Pestana (e lá tirava umas sestinhas J )

Depois de almoço fomos ao Akbar's Mausoleum (Sikandra). Havia imensos macacos nos jardins e na entrada, bem como veados. Foi Akbar quem começou a sua construção mas foi o seu filho Jahangir que a terminou em 1605. Foi parcialmente construído com areia vermelha e mármore com uma mistura de elementos Hindus e Moslem. Pode ser visto como um marco na transição entre a arquitectura antiga baseada na areia vermelha e a nova arquitectura baseada no mármore branco. O complexo é constituído por dois edifícios: o mausoléu e um portão gigante (Buland Darwaza), ligados por um passeio. A sala onde está colocado o túmulo de Akbar é extremamente sóbria sem elementos decorativos.

Seguimos para o mausoleu de Itmad-Ud-Daulah muitas vezes descrito como a caixa de jóias ou o Baby Taj, a versão draft do Taj Mahal. Este foi o primeiro exemplo de um mausoléu a ser construído nas margens de um rio na Índia. Foi construído em 1625 e muitas das suas características foram incorporadas na construção do Taj Mahal.

Fomos ainda ver o pôr do sol na outra margem com vista para o Taj Mahal. Espectacular!

Finalmente, fizemos a voltinha pelos bazars para que os nossos motoristas de rikshaws ganhassem mais algumas rupias. Fomos jantar ao Only e voltamos ao hotel pois ainda iriamos apanhar o comboio para Varanasi essa noite.

No lobby do hotel encontramos um típico português que trabalhava na área do calçado.

Por trás do Taj Mahal ao por do sol
Para ele, os indianos não têm horário, é trabalhar até cair para o lado, “com eles (indianos de castas mais baixas) só mesmo ao pontapé!” e a última das pérolas deste conterrâneo foi mesmo dizer que nós deviamos ser ricos pois andavamos a visitar a Índia à conta dos nossos pais!!!

Por fim (e mal sabiamos nós o que nos esperava….) partimos de camioneta rumo a Tundla para apanhar o comboio do fim do mundo!

por Carla Basilio

Join TravBuddy to leave comments, meet new friends and share travel tips!
Foto de Grupo no Taj Mahal
Foto de Grupo no Taj Mahal
O Taj Mahal
O Taj Mahal
Foto de Grupo no Taj Mahal com as …
Foto de Grupo no Taj Mahal com as…
A entrar para o Red Fort
A entrar para o Red Fort
Akbars Mausoleum
Akbar's Mausoleum
O Mausoleu de Itmad-Ud-Daulah
O Mausoleu de Itmad-Ud-Daulah
Por trás do Taj Mahal ao por do s…
Por trás do Taj Mahal ao por do …
A Rute e a Sandra no Taj Mahal
A Rute e a Sandra no Taj Mahal
O Michael e Rute no Taj Mahal
O Michael e Rute no Taj Mahal
O Taj Mahal
O Taj Mahal
O Taj Mahal de lado
O Taj Mahal de lado
Taj Mahal
Taj Mahal
O Taj Mahal
O Taj Mahal
O Taj Mahal ao longe
O Taj Mahal ao longe
A Sandra e o Taj Mahal
A Sandra e o Taj Mahal
A brincar com o Taj Mahal
A brincar com o Taj Mahal
O Taj Mahal
O Taj Mahal
Por trás do Taj Mahal
Por trás do Taj Mahal
Foto artistica do Taj Mahal
Foto artistica do Taj Mahal
Panorâmica do Taj mahal
Panorâmica do Taj mahal
De costas para o Taj Mahal
De costas para o Taj Mahal
De costas para o Taj Mahal
De costas para o Taj Mahal
Em obras
Em obras
Velho intelectual
Velho intelectual
A secar Saris
A secar Saris
Gado nas margens do Taj Mahal
Gado nas margens do Taj Mahal
Foto com a noiva
Foto com a noiva
Ezcrita no Taj Mahal
Ezcrita no Taj Mahal
A entrada para o Taj Mahal
A entrada para o Taj Mahal
Um dos minaretes do taj mahal
Um dos minaretes do taj mahal
Akbars Mausoleum
Akbar's Mausoleum
A Rute no Akbars Mausoleum
A Rute no Akbar's Mausoleum
No Red Fort
No Red Fort
Velho no Red Fort
Velho no Red Fort
Red Fort
Red Fort
Mesquita no Red Fort
Mesquita no Red Fort
Mulher de Azul
Mulher de Azul
Dentro do Red Fort
Dentro do Red Fort
Red Fort
Red Fort
Jardins de Akbars Mausoleum
Jardins de Akbar's Mausoleum
Jardins de Akbars Mausoleum
Jardins de Akbar's Mausoleum
Taxista a dar uma curva radical
Taxista a dar uma curva radical
No lado do Taj mahal
No lado do Taj mahal
Velho em bicicleta
Velho em bicicleta
Velho Mujahedin
Velho Mujahedin
As ruas de Agra
As ruas de Agra
Velho Mujahedin a meditar
Velho Mujahedin a meditar
Velho Mujahedin a dormir
Velho Mujahedin a dormir
Agra
photo by: rotorhead85