AsiaJapanTokyo

Day Two: Ghibli, Takaosan & Shibuya

Tokyo Travel Blog

 › entry 2 of 4 › view all entries

A minha ansiedade para ver o museu Ghibli era tal que às 7:30 da manhã já tava bem acordada para sair do hotel e apanhar o metro até à Shinjuku Eki. O museu só abre às 10, mas eu não quis arriscar atrasos e lá fui nas calmas. De Shinjuku apanhei o Chuo Rapid Express para Mitaka, uma viajem de 30 minutos bastante agradável, pois pode-se ver o Fujisan do comboio. Foi a primeira vez que vi! O dia estava perfeito, nem uma nuvem no céu, nada de frio, nem se compara a Akita. Tive muita sorte na minha viajem pois o tempo esteve sempre excelente para passear! Chegada a Mitaka lá segui para a paragem de autocarro Ghibli, que se reconhece à distância. Da estação ao museu são menos de 5 minutos e às 9 já estava à porta do museu. Aproveitei para passear no parque Mitaka no Mori e circundar o museu, tirando fotos do exterior e tomar pequeno-almoço num dos bancos mesmo em frente à entrada.

Tinha comprado pão em Shinjuku e uma lata de cafe au lait  quente na máquina ao lado da paragem de autocarro do museu. Para o registo: enquanto em Tóquio devo ter despejado umas 50 latas de cafe au lait! Tava viciada! Bem, quanto ao museu em si, já escrevi uma review para a visita, só posso acrescentar que adorei e valeu a pena levantar-me cedo e esperar ao frio para arranjar o bilhete! No entanto o museu é mesmo pequenino e por muitas voltas que desse não dava para lá ficar mais de 2 horas sem me sentir enfastiada. No regresso caminhei atá à estação, que é a melhor maneira num dia tão bonito com tanta gente a passear os cães e a fazer compras de bicicleta. Não me apetecia muito voltar a Tóquio, devo confessar que tanto tempo no sossego da AIU não me preparou bem para a grande metrópole, por isso, como a Chuo-sen termina em Takao, resolvi ir até à montanha e visitar o templo.
Em Takaosanguchi esperava-me uma multidão! A fila para o cablecar era tal, que mesmo estando algo cansada resolvi subir a montanha a pé. Os peregrinos eram às centenas, a fazer a primeira visita do ano ao templo budista, para onde quer que me virasse era um mar de gente. Para isto mais valia ter ido até Shibuya. Mas lá continuei e subi até ao topo da montanha (são uns 5 km de caminhada) de onde se pode ver ao longe o Fujisan. Infelizmente a tarde estava a chegar ao fim e o sol incidia num ângulo não muito vantajoso para tirar boas fotos. No regresso resolvi descer pelo trilho de montanha em vez do caminho mais directo dos peregrinos. Demora o dobro do tempo, mas é mais agradável porque não tem quase ninguém. Segui na Keio-sen em direcção a Tóquio e acabei por sair em Shibuya, já de noite.
 Aproveitei para jantar soba e lá andei no meio da loucura dos saldos de ano novo. Dentro do Shibuya109 era uma verdadeira loucura, parecia uma feira, com os empregados das lojas (maioria raparigas e tudo lojas de roupas e acessórios)  a berrarem preços, chamarem os clientes e coisas assim. A minha livraria favorita na minha outra visita a Tóquio, a Book 1st de Shibuya fechou a megaloja de 8 andares e agora está em apenas dois pisos num centro comercial perto da estação. Sniff... As minhas pernas tavam a gemer, mas mesmo assim andei bastante, não sei bem como acabei na Love Hotel Hill, para quem não sabe, uma área de Shibuya famosa pela concentração de hotéis e clubes.   

Join TravBuddy to leave comments, meet new friends and share travel tips!
Tokyo Sights & Attractions review
Ghibli Museum is located in a green area called Mitaka no Mori, a park in the city. From Shinjuku station to Mitaka one must board in the JR Chuo line… read entire review
Tokyo
photo by: maka77